Cadastrar-se
NOSSA PRÓXIMA
TRANSMISSÃO
INICIARÁ EM:
Você está aqui: HomeMensagemINUSITADA GRATIDÃO

Autores

INUSITADA GRATIDÃO

LINK PARA DOWNLOAD - https://mega.nz/#!5Y8mQZrY!BXn8Y5cvhFuko7d0rxUcgS6FOvVf-fWT0vjBKZd-dTM

Agora, pois, ó nosso Deus, graças te damos e louvamos o teu glorioso nome. Porque quem sou eu, e quem é o meu povo para que pudéssemos dar voluntariamente estas coisas? Porque tudo vem de ti, e das tuas mãos to damos. 1 Crônicas 29.13,14.

Todos aqueles que foram regenerados pela Palavra de Deus, mediante a graça de Jesus Cristo, reconhecem que são mendigos passivos que carecem a cada instante das dádivas de Cristo. Não é sobre os ‘the best’ que a graça se derrama, mas sobre os ‘the worst’. Quem foi regenerado nunca esquece do que era outrora, e agora o viver é marcado por um coração agradecido, mais do que se pode narrar.

A vida cristã é uma renúncia desde o novo nascimento até a glorificação final. Pois desde a nossa real experiência com Cristo que se deu por meio da sua graça, compreendo que tudo em nosso viver é resultado das dádivas do Pai que é rico em doações.

Não existe conversão parcial na obra de Cristo. Desde que eu cri que meu coração foi substituído na minha morte e ressurreição com Cristo, tudo o que diz respeito a esta nova vida, não mais pertence a mim, e sim a Cristo. Nada mais cabe ao meu controle, tudo agora pertence a Ele, e somente a Ele.

O prazer de ofertar, contribuir, é uma dádiva da nova natureza que o cristão recebeu de Cristo. Ninguém deve ofertar por obrigação, ninguém deve contribuir por imposição; mas todo o cristão agradecido e rendido pelo espírito da cruz não vive sem contribuir, pois, crê de todo o coração que TUDO é uma dádiva do Pai Amoroso revelado por Jesus Cristo. Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com Alegria. 2 Coríntios 9:7.

“O dizimo não deve ser um teto que paramos de contribuir, mas um piso do qual começamos”. John Blanchard. Precisamos viver atentos e pedir que o Espirito Santo sonde as intenções de nossos corações. Atente para o seguinte: “Há três tipos de contribuição: com ressentimento, por dever e com ações de graça. A contribuição com ressentimento diz: ‘Tenho de fazê-lo’; a contribuição por dever diz: ‘Devo fazê-lo’, a contribuição com ações de graças diz: ‘Quero fazê-lo’. Robert Rodenmayer.

A fonte de todas as dádivas é o nosso Pai celestial. Não vos enganeis, meus amados irmãos. Toda boa dádiva e todo dom perfeito são lá do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não pode existir variação ou sombra de mudança. Tiago 1:16-17. O Pai possui tesouros inextinguíveis, não há a mínima condição de falência na família trinitária. A terra vive a esmola dos tesouros do Alto, do Pai das luzes.

Todos quantos reconhecem as dádivas do Pai, vivem em imensa gratidão por tudo o que Ele dá pela sua graça. A contribuição financeira que fazemos no reino de Deus, é simplesmente uma pequena demonstração do amor que temos ao Pai, por imenso amor derramado em nossos corações. A gratidão é uma marca que acompanha a todos os filhos de Aba. Viver agradecido e com satisfação é uma realidade de nossa experiência com Cristo.

A escola da generosidade é essencial para o crescimento dos filhos de Aba. A vida cristã não nos foi dada porque conquistamos algo, mas sim, porque Deus o Pai nos deu tudo através do seu Bendito Filho. Ninguém pode nos convencer a contribuir por causa de alguma punição, ou por medo de alguma coisa azedar em nossas vidas. E menos relevante ainda por conta de contrair alguma maldição. A Palavra de Deus diz de modo simples:

Enriquecendo-vos, em tudo, para toda generosidade, a qual faz que, por nosso intermédio, sejam tributadas graças a Deus. 2 Coríntios 9:11. O Senhor nos fez ricos em generosidade, imprimindo assim em nós de seu caráter generoso. Aqueles que tem a dificuldade de contribuir, logo tem a dificuldade de reconhecer que o Pai é generoso. A liberalidade deve ser sempre feita com a liberdade que é própria daqueles que foram libertos.

A liberalidade redunda em louvor ao Senhor, por estas expressões são tributadas graças a Ele. O ofertante é sempre um homem muito agradecido e está sempre crescendo em generosidade. O ofertante não contribui e não entrega o dízimo para ser aceito, mas compreende que já foi aceito em Cristo, e por isso com um coração liberal, ou seja, uma pessoa livre – redunda em muitas graças a Deus, por tudo o que Ele é, faz, e fará em mim, e através de nós!

A Palavra de Deus nos diz: Pois, Nele, foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades. Tudo foi criado por meio Dele e para Ele. Colossenses 1:16. Entendemos que todas as coisas são de Cristo, e Ele não sofre carências, antes Ele é o Deus de todas as dádivas. O Pecado tornou o homem um usurpador, nos inchou a viver como mandatários dos negócios; sendo que os negócios todos e de todo o mundo é do Senhor.

O Senhor não tem dificuldades em economia, e sim nós, com tudo que nos foi emprestado por Ele. A nossa grande necessidade é reconhecer que não temos competência e somos carentes da direção do Espírito em todos os negócios. O Senhor não tem problemas em nos dar suas dádivas, nós é que temos com as coisas que recebemos Dele. O dinheiro não é problema para Deus, e sim para nós que confiamos no dinheiro como um senhor, e não dependemos do SENHOR, para que nos ensine a fazer o bom uso dos recursos, sem que os recursos tenham senhorio sobre nós.

Não podemos esquecer que a economia deste mundo é volátil, incerto. Quem confia no dinheiro, certamente não confiará em Cristo. Aquele que busca a Deus por dinheiro; certamente adorará ao Diabo por um cache maior.

“Ofertar não é algo que fazemos, mas algo que somos. É um estilo de vida para o cristão que compreende a graça de Deus”. Warren Wiersbe. Somos ‘primários’ na matéria de finanças e temos alguns passos ainda a percorrer. Não podemos ficar engatinhando, é necessário aprender a andar. Ao mesmo tempo que reconhecemos que somos novatos nesta matéria da escola do Deus trino, o aprendizado leva a maturidade.

O apóstolo Paulo como calouro da escola do contentamento aprendeu a viver com desprendimento e com simplicidade. É perceptível os estágios pelo qual o apóstolo já havia percorrido quando afirmou: Digo isto, não por causa da pobreza, porque aprendi a viver contente em toda e qualquer situação. Tanto sei estar humilhado como também ser honrado; de tudo e em todas as circunstancias, já tenho experiência, tanto de fartura como de fome; assim de abundancia como de escassez; tudo posso naquele que me fortalece. Filipenses 4:11-13. Nesta escola não tem formatura. Concordo com Thomas Merton: “Não queremos ser iniciantes. Mas que nos convençamos do fato de que nunca seremos nada mais que iniciantes, a vida inteira! ”.

O ofertante é alguém que aprendeu a olhar para o Alto de mãos levantadas, e de joelhos agradece as bênçãos imerecidas. Os desfrutes que recebemos é tudo dádiva do Pai celestial, e o que ofertamos entregando ao Senhor e compartilhamos com as outras pessoas, tudo é emprestado e nada é nosso; do Senhor são todas as coisas.

Nas palavras de Winston Churchill: “Sobrevivemos de acordo com o que recebemos, mas vivemos verdadeiramente de acordo com o que damos”. O padrão de vida elevado não é aquele que é contado pelo tanto acumulado, e sim, pela liberalidade que é espalhado os recursos. O Senhor Jesus disse aos discípulos: Dai, e dar-se-vos-á; boa medida, recalcada, sacudida, transbordante, generosamente vos darão; porque com a medida com que tiverdes medido vos medirão também. Lucas 6:38.

Aqueles que ofertam com tristeza são infelizes; aqueles que ofertam por necessidade são miseráveis; aqueles que ofertam por interesses são avarentos; aqueles que ofertam gorjetas são ingratos, e somente aqueles que ofertam de coração demonstram alegria e imensa gratidão. Porque Deus ama a quem dá com alegria. 2 Coríntios 9:7c. No reino de Deus a alegria é uma marca em todas as atividades feitas por seus filhos. Warren Wiersbe, observou: “Quando um cristão começa a inventar desculpas para não contribuir, sai automaticamente da esfera da contribuição pela graça. A graça nunca procura um motivo: busca apenas oportunidade. Se há uma necessidade a ser suprida, o cristão controlado pela graça fará o que estiver a seu alcance para supri-la”.

Que nossas contribuições, ofertas, o dizimo, o serviço, a adoração sejam todas expressões de um crucificado e ressurreto em Cristo. Nunca seremos mais doadores do que o próprio Deus. Não esqueçamos: aquele que adora a Deus por causa do dinheiro, se curvará ao Diabo pela glória deste mundo. E que os recursos deste mundo sejam apenas instrumentos para servir e não para assenhorar a vida em todas as suas dimensões.

Fiquemos seguros na Palavra de Deus. A quem dá liberalmente, ainda se lhe acrescenta mais e mais; ao que retém mais do que é justo, ser-lhe-á em pura perda. A alma generosa prosperará, e quem dá a beber será dessedentado. Provérbios 11:24-25. Com experiência salutar fora dito: “Deus requer o dizimo, merece as ofertas, defende as economias e orienta as despesas”. Stephen Olford. A Palavra de Deus dirige filhos de Deus. Você tem o prazer em ofertar? O Pai tem prazer em nos abençoar e nos abençoou com toda a sorte de bênçãos espirituais em Cristo nas regiões celestiais. Amém!

Por Alessandro Joel da Silva
Categoria Mensagem
Dom, 19 de Novembro de 2017 07:15

Adicionar comentário


Última modificação em Ter, 21 de Novembro de 2017 08:10

Horários dos cultos

Quarta-Feira (Culto de Oração) às 15:00 hrs
Quarta-Feira (Reunião de Oração) às 19:30 hrs
Quinta-Feira (Tempo de Graça) 12:15 às 12:45 hrs
Sábado (Culto de Jovens) às 19:30 hrs
Domingo às 9:30 e às 18:30 hrs

Localização

mapa
Primeira Igreja Batista em Londrina
Avenida Paraná, 76A - Centro
Londrina - PR, 86020-360
+55 (43) 3372-8900
comunicacao@palavradacruz.com.br

icone_rss icone_face icone_twitter icone_vimeo icone_orkut icone_youtube

 

 

Confins da Terra
Home - - Contato
Copyright 2011 - PIB Londrina todos os direitos reservados.