Cadastrar-se
NOSSA PRÓXIMA
TRANSMISSÃO
INICIARÁ EM:
Você está aqui: HomeMensagemA IMPORTÂNCIA DAS TRIBULAÇÕES

Autores

A IMPORTÂNCIA DAS TRIBULAÇÕES

LINK PARA DOWNLOAD - https://mega.nz/#!5UN3xT6S!DTdUNdyAexdIKliR0jQjpHpw2mCKmu2ORh80opjLU3s

Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações. Tiago 1:2.

Quero abordar hoje a importância das tribulações, aflições e sofrimento para a nossa salvação e também para o nosso crescimento espiritual em Cristo Jesus. As tribulações têm como propósito revelar-nos o espírito de rebelião, autossuficiência e arrogância que há em todos nós, e nos dar também uma visão correta deste mundo e sobre as outras pessoas.

Somos filhos recalcitrantes, mesmo como cristãos. Precisamos aprender muitas coisas. Temos arestas ásperas para serem polidas e o processo utilizado por nosso Pai celestial chama-se tribulações. Se cremos em nossa atração, morte e ressureição em Cristo Jesus, somos salvos. O apóstolo João deixa esse fato muito bem claro em sua epístola: E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está no seu Filho. Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida. 1João 5:11-12.

Todavia, não somos perfeitos. Existe em nós ainda uma natureza terrena, um corpo aprisionado onde o pecado diariamente tenta reinar e a tribulação é o método Divino para tratar com esse mal. Tiago, no capítulo 1, versos 3 e 4, explica: Sabendo que a provação da vossa fé, uma vez confirmada, produz perseverança. Ora, a perseverança deve ter ação completa, para que sejais perfeitos e íntegros, em nada deficientes. Ou seja, o principal propósito das tribulações é o de nos levar à maturidade, integridade e a não deficiência.

O profeta Isaías trata sobre este assunto: Escutem o que vou dizer! Deem atenção à minha mensagem! Um homem que está preparando o terreno para semear trigo não gasta todo o seu tempo arando a terra, cavando e remexendo nela. Depois de ter aplanado a terra, ele semeia o endro e o cominho e planta o trigo, a cevada e outros cereais nos lugares certos. Ele faz tudo direito porque Deus o ensinou. E no tempo da colheita ele não usa um instrumento pesado para debulhar os grãos de endro e de cominho; pelo contrário, ele usa varas pequenas e leves. Quando malha o trigo, ele não continua malhando até quebrar os grãos. Ele sabe passar a carreta por cima das espigas sem esmagar os grãos. Esse conhecimento também vem do SENHOR Todo-Poderoso. Os seus planos são maravilhosos, e ele é sábio em tudo o que faz. Isaías 28:23-29 NTLH.

O que o profeta quer nos ensinar com essa passagem? Que o pão que se serve à mesa vem da tribulação. Só que, antes dele servir de alimento, passa por um processo doloroso e de certa forma humilhante. O lavrador primeiro rasga o solo e o rastelo o fere com firmeza. A vara sacode o caule do endro. As rodas do carro passam por cima do trigo todavia sem esmagar os grãos.

Os anciãos tinham uma palavra que se referia a todo este processo de produzir pão. A palavra era “TRIBULUM”. Em seu sentido original, significava algum tipo de instrumento debulhador. Da raiz, “TRIBULUM”, vem a palavra “TRIBULAÇÃO”. O profeta aplica a sua parábola ao povo de Deus, que se havia desviado. Então a sua resposta era o “TRIBULUM”. Ele o estava trazendo de volta, pelo caminho duro! Alguns haviam sido endireitados apenas com uma leve sacudida, assim como a batida leve no caule do endro. Outros precisavam sentir o peso das rodas do carro.

Para que vocês e eu alimentemos a outros, precisamos, como o trigo, passar por um processo doloroso de quebrantamento, para ser arrancada de nós toda a autossuficiência e soberba. Com alguns, Ele usa de uma leve sacudida com as varas pequenas e leves, entretanto, outros precisam sentir o peso das rodas do carro.

C.S.Lewis disse com muita propriedade: “Deus sussurra a nós na saúde e prosperidade, mas, sendo maus ouvintes, deixamos de ouvir a voz de Deus. Então, Ele gira o botão do amplificador por meio do sofrimento. Aí então ouvimos o ribombar da Sua voz”. Existe uma diferença gritante entre o cristianismo e as religiões em geral. As religiões, de maneira espúria e inconsequente, têm prometido aos seus seguidores uma vida tranquila e sem tribulações. Seu enfoque, na maioria das vezes, é: creia neste ensino ou doutrina e você nunca mais terá problemas, nunca mais terá uma vida de altos e baixos, apenas de altos; será uma pessoa feliz e bem sucedida.

Esse nunca foi e nunca será o ensino da Palavra de Deus e do cristianismo verdadeiro. C.S.Lewis também disse: “Se eu fosse te recomendar uma religião para lhe fazer sentir confortável, certamente não lhe recomendaria o cristianismo”. Infelizmente, para muitos, salvação é sinônimo de felicidade terrena, não que o cristianismo não nos proporcione isso. Quando, porém, chegam as provações e as tribulações, esses “crentes” não têm onde se apoiar. São aqueles que Jesus disse na parábola do semeador: Mas não tem raiz em si mesmo, sendo, antes, de pouca duração; em lhe chegando a angústia ou a perseguição por causa da palavra, logo se escandaliza. Mateus 13:21.

Muitas passagens bíblicas nos ensinam que, para fazermos parte do reino de Deus, é necessário que passemos por muitas tribulações e lutas. E, tendo anunciado o evangelho naquela cidade e feito muitos discípulos, voltaram para Listra, e Icônio, e Antioquia, fortalecendo a alma dos discípulos, exortando-os a permanecer firmes na fé; e mostrando que, através de muitas tribulações, nos importa entrar no reino de Deus. Mas, apesar de maltratados e ultrajados em Filipos, como é do vosso conhecimento, tivemos ousada confiança em nosso Deus, para vos anunciar o evangelho de Deus, em meio a muita luta. Atos 14:21-22. 1Tessalonicenses 2:2.

Meus queridos irmãos em Cristo Jesus: devemos olhar para as tribulações com o cuidado e a provisão de Deus, para nos levar a um lugar espaçoso. Os desertos e as fornalhas servem apenas para tirar de nós as impurezas. Deus, muitas vezes, permite que passemos por tribulações e aflições para podermos ajudar os que têm e os que passaram pelas mesmas aflições que nós passamos.

Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai de misericórdias e Deus de toda consolação! É ele que nos conforta em toda a nossa tribulação, para podermos consolar os que estiverem em qualquer angústia, com a consolação com que nós mesmos somos contemplados por Deus. 2Coríntios 1:3-4.

Por isso, não desanimamos; pelo contrário, mesmo que o nosso homem exterior se corrompa, contudo, o nosso homem interior se renova de dia em dia. Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação, não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas. 2Coríntios 4:16-18.

Por mais que soframos neste mundo, ainda assim esse sofrimento será leve e momentâneo, comparado com a glória que nos espera. Apesar dos sofrimentos do presente século serem terríveis, --- não estou aqui querendo amenizar seu sofrimento, --- a verdade é que eles não são absolutamente nada comparados com a glória que ainda está por vir. Porque para mim tenho por certo que os sofrimentos do tempo presente não podem ser comparados com a glória a ser revelada em nós. Romanos 8:18.

Dr. Martyn Lloyd Jones disse certa feita: “Imagine você de pé em frente a uma balança: em um dos pratos, você coloca TODOS os seus sofrimentos e no outro prato, você coloca todo o imenso peso da GLÓRIA que ainda está por vir; o que antes parecia muito pesado, agora pesa menos que uma pena”. Pena que nós ficamos olhando somente para o lado dos sofrimentos. Os sofrimentos só ficam leves em contraste com o peso da glória que está no outro prato.

O que fazer então quando somos assolados pelo sofrimento? Regozijai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, na oração, perseverantes. Romanos 12:12. Sede pacientes na tribulação. O cristão não é um estoicista, que suporta os males desta vida, custe o que custar, com um sorriso no rosto. Pelo contrário, ele vai além, ele se gloria nas próprias tribulações, como nos orienta Paulo: E não somente isto, mas também nos gloriamos nas próprias tribulações, sabendo que a tribulação produz perseverança; e a perseverança, experiência; e a experiência, esperança. Romanos 5:3-4.

O apóstolo Paulo não está dizendo que nos gloriamos apesar das tribulações. Mas, “NAS TRIBULAÇÕES”. Isso é muito diferente. Apesar das tribulações, o cristão é aquela pessoa que continua olhando e dependendo de Seu Senhor e Mestre. Sejam pacientes enquanto Ele vai executando esse processo de aperfeiçoamento. Essa palavra paciente, no grego, significa: ficar, continuar, não retirar-se ou fugir. Perseverar sobre desgraças ou provações. Manter-se firme na fé. Aguentar os maus tratos em silêncio.

Sabemos que isso é muito difícil, mas somos chamados justamente para isso. Servos, sede submissos, com todo o temor ao vosso senhor, não somente se for bom e cordato, mas também ao perverso; porque isto é grato, que alguém suporte tristezas, sofrendo injustamente, por motivo de sua consciência para com Deus. Pois que glória há, se, pecando e sendo esbofeteados por isso, o suportais com paciência? Se, entretanto, quando praticais o bem, sois igualmente afligidos e o suportais com paciência, isto é grato a Deus. Porquanto, para isto mesmo fostes chamados, pois que também Cristo sofreu em vosso lugar, deixando-vos exemplo para seguirdes os seus passos, o qual não cometeu pecado, nem dolo algum se achou em sua boca; pois ele, quando ultrajado, não revidava com ultraje; quando maltratado, não fazia ameaças, mas entregava-se àquele que julga retamente. 1Pedro 2:18-23.

As tribulações nos ensinam sobre as outras pessoas. Elas nos ensinam a ter simpatia. As pessoas que demonstram mais simpatia pelos enfermos são as que já estiveram enfermas. As que nunca ficaram doentes, não são muito simpáticas ou empáticas com relação às que estão doentes.

Que o nosso Deus e Pai nos capacite por meio de seu Santo Espírito a entrar e passar pelas tribulações e aflições desta vida certos que estamos sendo trabalhados e moldados ao caráter de Cristo Jesus e a Ele seja dada toda glória, honra e louvor. Amém.

Maurício Marcelo Torres.

Por Maurício Torres
Categoria Mensagem
Dom, 23 de Outubro de 2016 14:26

Adicionar comentário


Última modificação em Ter, 25 de Outubro de 2016 07:25

Horários dos cultos

Quarta-Feira (Culto de Oração) às 15:00 hrs
Quarta-Feira (Reunião de Oração) às 19:30 hrs
Quinta-Feira (Tempo de Graça) 12:15 às 12:45 hrs
Sábado (Culto de Jovens) às 19:30 hrs
Domingo às 9:30 e às 18:30 hrs

Localização

mapa
Primeira Igreja Batista em Londrina
Avenida Paraná, 76A - Centro
Londrina - PR, 86020-360
+55 (43) 3372-8900
comunicacao@palavradacruz.com.br

icone_rss icone_face icone_twitter icone_vimeo icone_orkut icone_youtube

 

 

Confins da Terra
Home - - Contato
Copyright 2011 - PIB Londrina todos os direitos reservados.